25 de jun de 2010

Projeto Interdisciplinar



Projeto Interdisciplinar  Geografia e História
Tema: Continente Africano e Copa 2010
Professoras: Karla e Elisângela
09/06/2010

SEMANA DE 22


11/06/2010
Recital da "Semana de 22"
Poemas de Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Manuel Bandeira,
realizados pelos alunos do 3º ano do ensino médio.

18 de jun de 2010

O contexto da chegada do futebol no Brasil

O  futebol chega ao Brasil no final do século XIX e início do século XX. Os contornos do contexto social brasileiro dessa época podem ser delineados tomando como referência algumas características, como, por exemplo:

A sociedade está se urbanizando e o poder político nacional se concentra de forma mais intensa nas mãos da elite de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, representada pelos grandes empresários da agricultura, da indústria, do comércio e do sistema financeiro.
Em 1889, o Rio de Janeiro era o maior centro manufatureiro do país, sendo responsável por 57% do capital industrial brasileiro. Já na década de 1920, São Paulo se consolidou como o Estado mais forte, dominando a política econômica do Brasil graças ao acúmulo de capitais e ao grande enriquecimento dos cafeicultores. A construção de ferrovias facilitou a distribuição de produtos e, também, a crescente presença de trabalhadores imigrantes, acostumados com o trabalho nas fábricas. Neste contexto, os estrangeiros se tornaram mão de obra especializada e, em alguns casos, os donos das empresas.

Há o encontro de culturas diferentes. O fim do trabalho escravo favorece o aumento da imigração e uma série de mudanças que acarretam a ampliação de ações no sentido de um redirecionamento ao estilo europeu de vida.

A elite brasileira se associa aos imigrantes em decorrência da diversificação dos seus negócios, que não se limitavam ao cultivo do café, investindo também em casas comerciais, bancos e indústrias.

Um dos marcos da chegada do futebol ao Brasil, mais especificamente em São Paulo, ocorre em 1894, quando Charles Miller, um estudante, filho de ingleses radicados em São Paulo, chegou de seus estudos na Inglaterra trazendo na bagagem duas bolas de futebol, um livro de regras e uniformes, além dos conhecimentos sobre o jogo aprendido na Banister Court School. Ele foi o divulgador do futebol no Estado de São Paulo, assim como dos costumes relativos à sua prática.

                                       Crédito: Museu do Futebol / Origens
A sala “Origens” do Museu do Futebol narra, através de imagens, uma história que começou no final do século XIX.
Em 1900, Oscar Cox, também estudante e praticante de futebol na Europa, vindo da Suíça, incentivou a prática do esporte no Rio de Janeiro. Os primeiros treinamentos de futebol foram realizados nos clubes do Payssandu, Rio Cricket e Rio Team, porém, sem nenhuma atração, já que nesses clubes o forte estava na prática de outros esportes como a ginástica, o remo e o boliche.

Charles Miller foi o responsável pela organização das primeiras partidas de futebol no Brasil. Elas ocorriam na chácara de propriedade de uma família de ingleses que viviam na capital paulista. Os primeiros clubes de futebol no Brasil eram de colônias de imigrantes, sendo a colônia inglesa a responsável pela realização dos primeiros jogos.

Finalmente pintou a zebra na Copa!

Ontem, o Japão derrotou uma seleção de Camarões decepcionante, medíocre. Porque será que os times africanos desistiram de jogar com arte e alegria? Todos nós esperamos que os novos Pelés venham do continente em que ainda se joga bola na rua, no barro, com bola de plástico e bola de meia. É de lá que teria que vir a renovação da arte de jogar futebol, mas nessa copa, até agora, não vimos nada disso. Tomara que os africanos se lembrem do imenso talento que tem, e parem de ser tão “disciplinados taticamente”. Viva o futebol arte que, até agora, só apareceu na Alemanha e na Argentina, e bem pouquinho…

E hoje a zebra esperou até os 47 minutos do segundo tempo para aparecer, e castigar o futebol realista e covarde da Eslováquia, um time infinitamente superior à Nova Zelândia. Não dá pra entender como o técnico resolve segurar um placar de 1 a 0, sabendo que, nas próximas rodadas, Itália e Paraguai só vão precisar ganhar por 2 gols de diferença desse time sofrível para terminar a chave com saldo de gols melhor. Burrice, e o castigo veio a cavalo! Uma cabeçada no apagar das luzes deu o primeiro ponto da história à Nova Zelândia, e o técnico não parou de correr até agora. Viva a zebra!

17 de jun de 2010

"Semana de 22"



11/06/2010
Recital da "Semana de 22"
Poemas de Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Manuel Bandeira,
realizados pelos alunos do 3º ano do ensino médio.

15 de jun de 2010

Copa do Mundo...

Festa Junina e Copa do Mundo uma Paixão...

14 de jun de 2010

Origem da festa junina

Existem duas explicações para o termo festa junina.
A primeira explica que surgiu em função das festividades que ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que esta festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.
De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial.Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.
Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.


5 de jun de 2010

Os Dons da Vida

A vida não é acaso, teve o seu grande Arquiteto,
Que nos criou como irmãos, com carinho e muito afeto,
Nos criou à sua imagem e naquele momento dizia:
"Vão ter tudo que quiserem para passarem seus dias".

Olhando um mundo tão belo, falar quase não puderam,
Passaram o dia pensando: que tanta coisa nos deram!
Um chão coberto de flores, árvores e passarinhos,
O vento cortando a mata e rio cantando baixinho.

Um sol bonito ajudando as plantas verdes crescerem,
E terra boa, tão fértil, para todos sobreviverem;
Uma lua fina e bonita, que a noite nós vamos ver,
Estrelas no firmamento mostram a grandeza do ser.

A força bruta nos deram para o trabalho pesado,
Nos deram coragem e calma e do saber fomos dotados;
Nos deram coisa sublime que só o homem a tem,
A maravilha do mundo: o amor que o ser detém .

Porém a mais importante, a coisa bela e sagrada,
Que o Deus da vida nos deu não nos pedindo nada,
Não importando a cor, raça ou mesmo a idade,
O dom mais precioso da vida: a sonhada liberdade.

Liberdade que não é somente o ir e o vir,
É também poder falar, comer, beber e vestir,
Poder levar a família um dia pra passear,
Ter o direito sagrado de sorrir e trabalhar.

Se no Nordeste isto temos, sentimos e praticamos,
Que até podemos dizer: que povo feliz somos!
Temos a opção de sentir, olhar e nada fazer,
Ficar de braços cruzados, esperando só morrer.

Os dons da vida nós temos na força da natureza,
Porém não terão valia se só servirem à riqueza.
Façam o bem não façam o mal , façam a coisa acontecer,
Se todos fizerem isto, certamente vão vencer.

JCoutinho Amorim

3 de jun de 2010

Apresentação do trabalho de História

Proerd

2 de jun de 2010

ROMANTISMO


Apresentação do Teatro sobre Romantismo dos alunos do 2º CC1 dirigido pela Professora Livia

Meio Ambiente



Apresentação dos trabalhos de ensino religioso dos alunos do 9ºano e Pav, dirigidos pela profª Naime

1 de jun de 2010

PROERD

Projeto Escola Viva


Trabalho realizado pela Profª voluntaria Silvia Fernandes no Projeto Escola Viva.
Parabéns a todos.